‘Bilac vê estrelas’: um sucesso

‘Bilac vê estrelas’: um sucesso

Nosso musical ‘Bilac vê estrelas’ (roteiro meu e de Julia Romeu, baseado em romance homônimo de Ruy Castro), apresentado no ano passado durante seis meses (em temporadas no Rio e em São Paulo), teve até agora uma carreira de sucesso. Foram quatro prêmios importantes: prêmios Shell, APTR e Bibi Ferreira para Melhor Música – pelo lindo trabalho de Nei Lopes – e prêmio Bibi Ferreira de Melhor Musical Brasileiro. ‘Bilac vê estrelas’ recebeu também quase vinte indicações, incluindo diversas categorias como Melhor Musical, Melhor Texto Original, Melhor Direção Musical, Melhor Ator e Atriz e também Melhor Figurino.  Agora, esperamos parcerias para poder voltar aos palcos ainda em 2016 ou, no máximo, em 2017. E viva o musical...

Leia Mais

Prêmio Shell para ‘Bilac’

Prêmio Shell para ‘Bilac’

Nosso musical “Bilac vê estrelas” recebeu o Prêmio Shell de Melhor Música, pela sensacional trilha sonora original de Nei Lopes. O Prêmio Shell, um dos mais tradicionais do teatro brasileiro (criado há 28 anos), foi entregue em festa realizada no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico do Rio, na noite de terça-feira, dia 15 de março. Durante a cerimônia, além da entrega dos prêmios, foi realizada uma homenagem à diva do teatro brasileiro, Fernanda Montenegro. O Prêmio Shell de Melhor Música para a trilha de “Bilac vê estrelas” é um reconhecimento ao talento de Nei Lopes, não apenas como sambista, mas como autor de grande porte, já que entre as 15 canções que fazem parte do musical não há um único samba (até porque em...

Leia Mais

Uma noite emocionante

Uma noite emocionante

Foi um momento de grande emoção – com muitas lágrimas, mas também alguns sorrisos – a noite de estreia em Porto Alegre da nova montagem da minha peça “O lugar escuro”, sobre o Mal de Alzheimer. A peça, que em sua montagem original teve duas temporadas no Rio, além de apresentações em Curitiba e Fortaleza, é uma adaptação, feita por mim, do livro homônimo lançado pela editora Objetiva em 2007. A montagem em Porto Alegre foi feita por um dos mais importantes diretores gaúchos da atualidade, Luciano Alabarse, e tem no elenco três fantásticas atrizes – Sandra Dani, Vika Schabbach e Gabriela Poester – que dão um show de interpretação.. “O lugar escuro” está sendo apresentado no Teatro do Instituto Goethe de Porto...

Leia Mais

‘O lugar escuro’ em Porto Alegre

‘O lugar escuro’ em Porto Alegre

No próximo dia 11 de março estreia em Porto Alegre uma nova montagem da minha peça “O lugar escuro”, sobre o Mal de Alzheimer. A peça, que em sua montagem original teve duas temporadas no Rio, além de apresentações em Curitiba e Fortaleza, é uma adaptação, feita por mim, do meu livro homônimo, lançado pela editora Objetiva em 2007. A montagem em Porto Alegre está a cargo de um dos mais importantes diretores gaúchos da atualidade, Luciano Alabarse, e tem no elenco Sandra Dani, Vika Schabbach e Gabriela Poester. “O lugar escuro” será apresentado no Teatro do Instituto Goethe de Porto Alegre (Rua 24 de outubro, 112, Moinhos de Vento), sempre às sextas e sábados (21 h) e domingos (18h). A temporada vai até 10 de abril. Às...

Leia Mais

Correndo contra o relógio

Correndo contra o relógio

A crise chegou às escolas de samba. Ao ouvir isso, pensei: Oba! Menos dinheiro significa menos patrocínios esdrúxulos e menos luxo, mas, quem sabe, mais criatividade. Ou seja, mais samba e menos espetáculo. Mas acho que me enganei. Mal me enchi de esperança e li uma nota (na coluna Gente Boa, do GLOBO) dizendo que a Liesa, por causa da falta de dinheiro, estuda reduzir o número de carros alegóricos obrigatórios, de seis para cinco (o que seria ótimo), e – aí é que vem o problema – o tempo dos desfiles das escolas, de 82 para 70 minutos. Ora, se as escolas já passam marchando, quase correndo, e se o ritmo alucinado dos últimos anos já vinha desfigurando completamente o gênero samba-enredo, o que será do desfile se tiver de acontecer com 12...

Leia Mais

Livros na Feira de Bolonha

Livros na Feira de Bolonha

Três livros nossos foram incluídos no catálogo da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) para ser apresentados na Feira Internacional do Livro Infantil em Bolonha, a mais tradicional feira no gênero: o livro “Carmen – A grande Pequena Notável”, biografia de Carmen Miranda (Edições de Janeiro), escrita por mim e por Julia Romeu, que já tinha recebido dois prêmios da FNLIJ em 2015 (Melhor Livro de Não-ficção e Melhor Projeto Gráfico); e a dupla de livros de crônicas que Ruy Castro e eu preparamos no ano passado para a editora Moderna, voltados para o público jovem, “A melancia quadrada” (de Ruy) e “O amigo do vento” (meu). O link da página em que a FNLIJ apresenta o catálogo está aqui...

Leia Mais

Choro de perdedor ou falta de memória?

Choro de perdedor ou falta de memória?

Vão dizer que é choro de perdedor. Talvez seja mesmo. Ganhar é bom, não é? Nós não ganhamos. Não entramos na lista dos dez melhores espetáculos de teatro em 2015, feita pelo Globo. Quando digo “nós”, refiro-me ao musical “Bilac vê estrelas”, que escrevi em parceria com Julia Romeu, com músicas (inéditas) de Nei Lopes. Um musical brasileiríssimo, que recebeu uma montanha de elogios em sua estreia no Teatro Sesc Ginástico, do Rio. “Bilac” ganhou seis indicações para o Prêmio Cesgranrio e uma para o Shell, sem falar no Prêmio Bibi Ferreira, de São Paulo, no qual teve sete indicações e levou dois prêmios – Melhor Musical Brasileiro e Melhor Música. O principal crítico do Globo, Macksen Luiz, deu ao nosso...

Leia Mais